Molibdênio

Informações Gerais

     O Molibdênio é um metal prateado, duro, e é oxidado em temperaturas elevadas. Ele é um metal de transição e pertence ao grupo 6 da tabela periódica.

     A palavra Molibdênio deriva do grego "molybdos" que significa chumbo. O conceito foi usado amplamente no século XVIII para designar substâncias semelhantes ao chumbo em aparência; como o grafite e o mineral conhecido atualmente como molibidenita. Isso causava grande confusão entre os estudiosos da época.

     A diferença entre o grafite e a molibidenita - MoS2, foi demonstrada pelo sueco Carl W. Scheele em 1778. Publicou o trabalho em sua tese "Experiments With Lead-Ore: Molybdoena".

     Scheele observou que o ácido nítrico - HNO3, praticamente não reagia com grafite, mas o fazia com molibidenita - MoS2, produzindo ácido sulfúrico - H2SO4 e um resíduo insolúvel, que chamou de "terra Molybdoena". Passou a considerá-lo como um ácido, dando-lhe o nome de ácido molibidico - H2MoO4.

     Em 1782, Scheele não possuindo  um forno de aquecimento adequado para a reação de redução do  resíduo, pediu a seu amigo Peter Jacob Hjelm a realização da reação, obtendo assim o metal impuro.

     Em 1817, Berzelius obteve o metal puro, através da reação de redução do trióxido de molibdênio - MoO3 com o hidrogênio - H2.

     Nome do Elemento: Molibdênio
     Símbolo Químico: Mo
     Número Atômico (Z): 42
     Peso Atômico: 95,94
     Grupo da Tabela: 6 (VIB)
     Configuração Eletrônica: 1s2 2s2 2p6 3s2 3p6 3d10 4s2 4p6 4d4 5s2
     Classificação: Metal de Transição
     Estado Físico: Sólido (T=298K)
     Densidade: 10,280 (g/cm3)
     Ponto de Fusão (PF): 2896,0 K
     Ponto de Ebulição (PE): 4912,0 K

Origem do Nome

     Do grego "molybdos" em referência ao chumbo.

Histórico

      1778 – Scheele verificou que a molibdenita era um mineral de um novo elemento. Antes disso, era confundida com grafite ou minério de chumbo.

     1782 – De forma impura, foi separado pela primeira vez por Hjelm.

Disponibilidade

     O principal minério é a molibdenita (sulfeto de molibdênio). Existem outros de menor importância comercial.

Produção

     Pode ser obtido a partir do pó resultante da redução do hidrogênio do molibdato de amônia.

     Também é obtido como subproduto da mineração de cobre e de tungstênio.

Aplicações

     Usado em ligas à base de níquel, resistentes a altas temperaturas e à corrosão.

     Como agente catalisador no refino do petróleo.

     Em eletrodos para fornos de aquecimento elétrico.

     Em reatores nucleares e partes de aviões e mísseis.

     Quase todos os aços de elevada resistência têm molibdênio em proporções de 0,25 a 8%.

     Em filamentos para componentes elétricos e eletrônicos.

     Sulfeto de molibdênio é um lubrificante para altas temperaturas.

     É elemento essencial para a nutrição das plantas. Algumas regiões são estéreis por falta do elemento no solo.