Escândio

Informações Gerais

     O escândio é um metal branco prateado, tornando-se amarelado quando em contato com o ar. É relativamente macio e assemelha-se ao ítrio (Y) e ao grupo de metais terras raras. O escândio é um metal de transição e pertence ao grupo 3 da tabela periódica.

     Com base no seu sistema periódico, Mendeléeff, em 1871, previu a existência do "ekaboron" (símbolo Eb, o novo elemento teria propriedades semelhantes às do boro), que deveria ter um peso atômico entre o do cálcio (40) e o do Titânio (48).

     O elemento foi descoberto por Lars Frederick Nilson em 1879, nos minerais euxenita - (Y,Ca,Ce,U,Th)(Cb,Ta,Ti)2O6 e gadolinita - Y2FeIIBe2(SiO4)2O2, onde Y=Ce, La, Na, Er, Yb)7, que só são encontrados com facilidade na Escandinávia.

     Nilson conseguiu preparar aproximadamente 2g de óxido de escândio (Sc2O3), processando 10 Kg de euxenita.

     Posteriormente, Per Theador Cleve, evidenciou o escândio de Nilson, identificando-o como o "ekaboron" de Mendeléeff.

     Nome do Elemento: Escândio
     Símbolo Químico: Sc
     Número Atômico (Z): 21
     Peso Atômico: 44,955910
     Grupo da Tabela: 3 (IIIB)
     Configuração Eletrônica: 1s2 2s2 2p6 3s2 3p6 4s2 3d1 4s2
     Classificação: Metal de Transição
     Estado Físico: Sólido (T=298K)
     Densidade: 2,985 g/cm3
     Ponto de Fusão (PF): 1814,0 K
     Ponto de Ebulição (PE): 3103,0 K

Origem do Nome

     Do latim "Scandia" que significa Escandinávia.

Histórico

     1878 – Nilson consegui isolar um óxido a partir de minerais raros. Posteriormente verificou-se que este óxido era do escândio, conforme previsto por Mendeleev.

Disponibilidade

     Aparentemente, o escândio é mais abundante no Sol e em outras estrelas do que na Terra, onde ocupa o 50º lugar. A sua distribuição é muito diluída, estando presente em concentrações mínimas em cerca de 800 espécies minerais.

     Supostamente, a cor azul da água-marinha (variedade de berilo) é devida ao escândio. Ocorre como principal componente no silicato de escândio e ítrio, um mineral raro encontrado na Escandinávia e na Malásia. É também encontrado em resíduos provenientes da extração do tungstênio a partir da volframita (tungstato de ferro e manganês).

     Atualmente, a maior parte é obtida a partir do silicato de escândio e ítrio ou como subproduto da mineração do urânio.

Produção

     O escândio metálico foi obtido pela primeira vez em 1937, por Fischer, Brunger, e Grienelaus, a partir da eletrólise dos cloretos fundidos de potássio, lítio e escândio. Atualmente é produzido pela redução do fluoreto de escândio com cálcio metálico.

Aplicações     

     O iodeto de escândio (ScI3), adicionado ao vapor de mercúrio das lâmpadas, torna-as fontes de luz parecida com a luz solar. O óxido de escândio (Sc2O3) é usado em lâmpadas de alta intensidade.